Domingo, 23 de Setembro de 2018

Buscar   OK
Brasil

Publicada em 17/08/18 às 14:41h - 6 visualizações
Ciro detalha programa para tirar brasileiros do SPC ao custo de R$ 60 bilhões
Ciro detalha programa para tirar brasileiros do SPC ao custo de R$ 60 bilhões

Blog Pe Notícias


 (Foto: Blog Pe Notícias)

Candidato do PDT à Presidência, Ciro Gomes deu início à sua campanha em Irajá, na Zona Norte do Rio de Janeiro, nesta quinta-feira, com um discurso nacionalista na economia e duro na questão da segurança pública para uma plateia majoritariamente feminina.

Ele voltou a falar que, se eleito, vai refinanciar a dívida de 60 milhões de brasileiros inscritos no Serviço de Proteção ao Crédito (SPC), dessa vez detalhando que o programa pode exigir que os bancos públicos abram linha de crédito de até R$ 60 bilhões para atender a promessa.

Ciro vai concorrer à Presidência pela terceira vez e sem alianças com outros partidos, depois de tentar se associar às legendas do Centrão (DEM, PRB, PR, Solidariedade e PP) e com as legendas de esquerda PSB e PCdoB.

— Eu faço um leilão e aquelas empresas financeira, bancos e de cartão de crédito e de crediários que me derem o maior desconto serão as primeiras a serem refinanciadas. E pega os mais pobres de baixo para cima e empresta pelo Banco do Brasil e pela Caixa em até 36 meses de prazo, disse Ciro a jornalistas na chegada ao comício.

Segundo ele, os feirões de negociação de dívida do Serasa têm dado desconto médio para os devedores de 80% em média. O pedetista acredita que com o programa do governo esse desconto nas dívidas pode chegar até 90%.

— O brasileiro médio está devendo R$ 1.200. Isso se eu picar as prestações em 36 meses ele vai pagar prestação ao redor de R$ 40 por mês e vai fazer ele a sair da humilhação e ajudar o país a voltar a turbinar a economia, argumentou.

— Se nos chegarmos ao limite de todo mundo (negociar a dívida), estamos falando em R$ 60 bilhões, acrescentou.

Ciro disse que os bancos privados também poderão aderir ao programa de refinanciamento se quiserem, mas terão que seguir algumas condições e, em compensação, podem liberar mais recursos dos depósitos compulsórios que deixam no Banco Central.

— Eles terão que dar desconto muito grande para entrar no projeto e, se quiserem fazer a estrutura de refinanciamento pela linha privada, eles serão obrigados a praticar um juro sério que o governo vai fiscalizar e eu posso entra e afrouxar um pouquinho os compulsórios, explicou.

Em um vídeo divulgado nesta quinta, Ciro acrescenta que os devedores terão ainda três meses de carência para começar a pagar o empréstimo que fariam nos bancos públicos para quitar a dívida com o SPC. Na peça publicitária, ele afirma ainda que, em média, os brasileiros devem R$ 4.200 e que com o desconto do programa prometido essa dívida pode cair para até R$ 1.200.

Já no palco, Ciro adotou um tom nacionalista na questão econômica e voltou a dizer que, se eleito, pretende rever as concessões na área de petróleo.

Quando tratou da segurança, o candidato do PDT tentou demonstrar que terá pulso firme para combater o crime organizado e usou a morte da ex-vereadora Marielle Franco, assassinada em março e cujo crime ainda não teve solução, para elevar o tom contra milicianos e traficantes.

— Quem matou a Marielle? Se vocês não entregarem os culpados até dezembro deste ano, eu assumo a Presidência eu venho buscar a milícia, o narcotraficante, o comando vermelho, seja quem for e vai para presídio federal e ficará incomunicável, discursou aos berros.

Ele voltou a culpar o governo de São Paulo pela expansão da facção criminosa PCC no país.

— Eu não quero atribuir pessoalmente, mas hoje é flagrante entre todos os especialistas que consulto que as autoridades de São Paulo fizeram acordo com o Primeiro Comando da Capital (PCC), que comanda de dentro dos presídios de São Paulo o crime e a violência no país inteiro, disse aos jornalistas.

AGRADECIMENTO A TEMER

O candidato do PDT foi irônico ao comentar a entrevista do presidente Michel Temer ao jornal “Folha de S. Paulo”, em que o emedebista faz de conta que não sabe o nome de Ciro e indica que o governo apoia a candidatura presidencial de Geraldo Alckmin, do PSDB.

O apoio ao tucano ocorre mesmo com o governo apoiando formalmente a candidatura de Henrique Meirelles, ex-ministro da Fazenda e filiado ao MDB.

— Acabei de ganhar na loto. Atenção brasileiros, o presidente Michel Temer acabou de anunciar na “Folha de S. Paulo” que o adversário dele sou eu e que vou desfazer tudo que ele fez. E que o candidato do governo é o Alckmin. Isso ajuda muito à população a it tomando lugar. Eu vou desfazer toda essa agenda antipovo, antipobre, anti-Brasil que o senhor Michel Temer junto com o PSDB do Alckmin fizeram e o povo brasileiro agora tem o testemunho do presidente.

Ciro demonstrou bom humor até na hora que se desequilibrou e quase caiu do palco.

— Não se preocupe que eu não caio. E se eu cair, eu caio do braço do povo. Eu não sou a Dilma, não. Que se deixou derrubar por esse bando de ladrão, corrupto, como esse Eduardo Cunha (MDB, ex-presidente da Câmara dos Deputados) que está na cadeia, discursou. Com informações de O Globo.




Deixe seu comentário!

ATENÇÃO: Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

81 9276-6823




No Ar


Nenhuma programação cadastrada
para esse horário




Peça sua Música

  • Fagner vinicius da silva
    Cidade: SÃO VICENTE FERRER
    Música: Faroeste Caboclo
  • Tony Silva
    Cidade: Brasil
    Música: Sunday Bloody Sunday
  • Sérgio Sales
    Cidade: Brasil
    Música: Faroeste Caboblo - Legiao Urbana
Publicidade Lateral
Bate Papo

Digite seu NOME:


Estatísticas
Visitas: 14182 Usuários Online: 52


Parceiros

Copyright (c) 2018 - RCM FM - Todos os direitos reservados